União das esquerdas


#1

o ataque que se começa a fazer sentir por parte da extrema direita exige que as esquerdas ponham de lado as suas divergências (menores) e apostem num “PROGRAMA MÍNIMO” (pragmático) que permita travar a ascensão da direita (que cerra fileiras, sempre que ameaçada)

Henrique Garcia Pereira[date=2019-02-06 time=18:51:00 timezone=“Europe/Lisbon” format=“LLL” timezones=“Europe/Paris|America/Los_Angeles”]


#2

Si! We have to undertake every effort not to repeat the errors of the past (1918 ff.) when a divided left prepared the way for faschists to take over.


#3

A mesma coisa está a acontecer em Itália. A união das esquerdas é desejada mas muito difícil porque, basicamente, DiEM é a única esquerda europeista aqui. Imagino que vocês têm o mesmo problema, não é?


#4

Não se pode ser anti-europeista no mundo de hoje.
O nacionalismo é contra-revolucionário, seja de que matiz fôr.
O socialismo sempre foi internacionalista.
Quem está disposto a morrer numa guerra entre nações?
É a direita que está a fomentar o anti-europeísmo (e outras clivagens no seio das esquerdas), enquanto cerra fileiras, sempre que aneaçada por uma coligação das esquerdas
Henrique